Gente

Foto arquivo BzN

Volney Muchacho foi registrado Ivan pelo pai Gaspar que era Alcino

Há 55 anos ele mora na mesma casa onde nasceu, na estrada do Canto de Geribá, 236 e há 18 trabalha na casa em frente, onde instalou seu restaurante Barbado. Mas sua história passa por muitos episódios, a começar pelo nome Ivan Francisco Porto que por ele é difícil identificá-lo.

Na verdade trata-se de um hábito na família, já que o pai era Alcino, mas conhecido como Gaspar (a mãe é Carmelina) e ele seria Volney, mas na hora do pai registrá-lo no cartório do finado tabelião Elias Mureb ficou na certidão o nome de Ivan:- meu pai chegou em casa bêbado e nunca soube explicar porque o nome Ivan, já que saiu com a intenção de me registrar Volney.

O Ivan que virou Volney recebeu no tempo dos turistas argentinos o apelido de Muchacho, nome de guerra que assumiu e virou marca de simpatia e amizade.

- Meu pai não tinha leitura e, como pescador, enfrentou vida muito dura. Eu morava com os avós. Não se comia arroz e, para acompanhar o peixe, só feijão e beiju (farinha). Carne e batata não tinha quem vendesse e quem comprasse. Banho só de água salgada, luz era a do motor da praia dos Ossos e geladeira era movida a querosene. A cidade de Búzios sempre foi muito pobre - lamenta.

Aos 14 foi ajudar o pai na pesca. Ia para o alto mar, visitava o Rio, enfrentava temporais e via baleia de perto: - a gente chegava a se deitar no fundo do "caíco" de tanto medo. Era assustador - conta.

Da pesca saiu em 1963 para servir ao Exército no Forte de Imbuí, em Niterói e, na volta, "apesar de ter cinco namoradas", casou-se com Marizete Quintanilha, amiga de infância. E não voltou mais para a pesca, indo trabalhar como caseiro. Foi nessa época que esteve perto de duas histórias que marcaram a cidade: a morte do bandido Cara de Cavalo e o assassinato da socialite Ângela Diniz, na Praia dos Ossos.

- Cara de Cavalo era sogro do meu amigo Pedro Mulatinho e morreu baleado pela polícia na sala de sua casa em Saco Fora; minha mulher Zete era caseira de Ângela Diniz e presenciou as brigas do casal antes dela ser assassinada pelo Doca Street. Nos dois casos cheguei aos locais dos crimes pouco depois do ocorrido. Se tivesse cobrado por cada informação que sabia teria ficado rico - diz rindo.

Volney Muchacho foi motorista-sócio de caminhão, corretor de casa de veraneio, jardineiro, "banco" particular, administrador de condomínio, até que, aproveitando os dotes culinários da mulher Zete, arrendou por três anos o restaurante Barbudo, que virou um point no trevo para a praia da Ferradurinha (Geribá).

- O camarão com catupiry, a muqueca de peixe e a feijoada ficaram tão famosas que o dono do imóvel, de olho grande, o pediu de volta no meio do contrato. Mas a freguesia sumiu e ele faliu. Abri na parte da frente da casa onde nasci o meu próprio onde continuo com Dona Zete e as três filhas (o casal tem mais um filho). Agora se chama Restaurante Barbado, um point - se orgulha Volney Muchacho.

Sem ter saudade da cidade pobre do tempo de infância, acha que os turistas dos anos 70/90 viraram os "duristas" de hoje que dividem no seu restaurante uma refeição até por três pessoas: - o pessoal bacana, com dinheiro, já era! - lamenta.