Artes

Foto by Sergio Fleury

Os três pescadores e a Brigitte Bardot em bronze ganham vida na imaginação buziana

Filha de Javert, nome do personagem principal do romance Les Miserables e de Baby, a pioneira de um curso para mulheres motoristas, Christina Motta "brinca" com argila desde os 13 anos, daí as esculturas em bronze que se tornaram atração turística na orla da Praia da Armação, em Búzios: a da Brigitte Bardot, camisa listrada e sentada na mala e as de três pescadores, em tamanho natural, puxando uma rede à beira do mar.

Paulistana de 56 anos, Christina estudou no tradicional Notre Dame de Sion e ainda jovem decidiu fazer um curso de três meses de inglês, em Londres, de onde só saiu 21 anos depois. Ali entrou numa escola de arte, trabalhou no atelier da escultora sueca Karin Jonzen, expôs diversas vezes na Alwin Gallery, numa travessa da Bond Street e se casou com Manuel Mendes Silva, brasileiro radicado em Londres que trabalhava na Organização Internacional do Café (OIC).

Suas esculturas na época lembravam monges com a cabeça coberta por um manto e muitas delas foram expostas na Hüsstege Gallery, da cidadezinha holandesa chamada s'Hertogenbosch, onde continua expondo anualmente.

Nos anos 80 veio pela primeira vez a Búzios e ficou um final de semana chuvoso hospedada na Casa do Sino, alugada por um amigo. Com a aposentadoria do marido, alugaram a casa de Londres para um americano e vieram passar temporada na casa emprestada pelo pianista e amigo Arnaldo Cohen, na Vila das Aroeiras, em Manguinhos. Chegaram em dezembro de 1991 e nunca mais saíram.

Foram ficando, construíram a própria casa na Enseada do Gancho onde hoje convivem com oito cachorros Fox Paulistinha, funciona o atelier e recebem amigos. A primeira escultura feita por encomenda pela prefeitura para a Orla Bardot da cidade foi a da Brigitte Bardot, que teve por modelo uma foto de Denis Albanèse (vide história no ícone Personagem) onde a atriz aparece de camiseta branca e azul listrada e calça jeans. A estátua em bronze é pintada em pátina química.

Foto by Sergio Fleury

Também por encomenda da prefeitura e como homenagem aos pescadores da antiga aldeia buziana, ela fez os três puxadores de arrastão à beira mar, a 15 metros da areia, sobre pedras e que, à noite, recebe iluminação mágica, um projeto de Nills Ericson.

São três esculturas em tamanho natural que tiveram por modelos o marinheiro Mauro, que posou para Christina simulando um arrastão com a corda amarrada numa árvore e o topógrafo Eduardo Chamel, de quase dois metros de altura, que serviu de base para que estudasse as proporções das estátuas.

Christina Motta e seus pescadores

As obras deram muito trabalho. Começam a ser feitas numa estrutura de madeira e ferro recheadas de papel, quando se faz o primeiro molde em argila. Depois é feito o molde em gesso e se recheia a parte oca de cera (fica como num sanduíche). Em seguida a estátua é coberta com gesso cozido ("luto") e vai ao forno. No final vai para a fundição.

Se ficaram reais? Bem, pelos menos os estudantes uniformizados que passam em frente a Brigitte Bardot se empurram e gritam um para o outro:

- Beija, beija, beija...

 

A "garotada" buziana

 

Outra obra pública de Cristina Motta alegra a Praça dos Ossos.Trata-se de cena infantil com três esculturas: a do garoto com uniforme escolar deitado no banco da praça, tendo em frente uma criança em pé e, no chão, um cachorrinho preto & branco, uma homenagem ao "Tango" da autora. A obra virou point das crianças buzianas e atração da cidade.

No Dia da Consciência Negra, foi inaugurada mais uma obra da escultora no Cruzeiro do bairro da Rasa, uma homenagem à população representada por um pai & filho negros. A raça negra agradece.

Pai & filho no bairro da Rasa

A última escultura de Christina Motta é a homenagem à Bíblia numa praça do bairro de Manguinhos.